Cadeirante ganha Oscar do teatro. A atriz de Glee também reclama da falta de acessibilidade.

por | 4 set, 2019 | Inclusão, Lazer e cultura acessível | 0 Comentários

Ali Stroker, de 31 anos, fez história ao receber o prêmio Tony, considerado o Oscar do palco, por sua atuação no musical Oklahoma!. A atriz, que participou da série Glee (2009-2015), se tornou a primeira cadeirante a ganhar uma estatueta. Mas ela aproveitou para reclamar da acessibilidade nos teatros da Broadway.

De acordo com a atriz, pessoas com deficiência até conseguem se locomover nas plateias, mas atores como ela têm dificuldade para trafegar nos bastidores das casas de show. “Eu peço que produtores e proprietários de teatro olhem com carinho para essa questão e tornem as coxias mais acessíveis para os artistas”, disse ela à imprensa depois de receber o prêmio.

No próprio Tony, ela deu uma prova clara de seus obstáculos: como o palco da premiação, que ocorreu no Radio City Music Hall, não tinha uma rampa, a atriz teve de aguardar na coxia caso chamassem o seu nome.

Ali comoveu o público com seu discurso. Ela dedicou sua vitória a “todas as crianças com deficiência, limitação ou um desafio que esperou para se verem representadas nessa arena”. A atriz foi aplaudida de pé por seus colegas.

O prêmio de Ali Stroker foi considerado uma surpresa entre os críticos de teatro. Segundo especialistas, a favorita na categoria de atriz coadjuvante em musical era Amber Gray, do espetáculo Hadestown. Mas os votantes optaram pela cadeirante.

Pioneira no palco

Ali já tinha entrado para a história do teatro ao ser indicada ao Tony – nunca na história da premiação um artista cadeirante havia concorrido a um troféu.

A atriz ficou conhecida pelos fãs de Glee antes mesmo de atuar na comédia. Ela foi uma das participantes da segunda temporada do reality show The Glee Project (2011-2012), que dava ao seu vencedor um arco de pelo menos sete episódios na série.

Ela não ganhou a competição, mas chegou à final. Ganhou um prêmio de consolação do produtor Ryan Murphy: uma participação em um episódio da quarta temporada de Glee, na pele de Betty Pillsbury, uma parente da conselheira estudantil Emma (Jayma Mays). Sua personagem teve um envolvimento com Artie Abrams (Kevin McHale), o cadeirante do coral New Directions.

Depois da série, Ali Stroker se dedicou aos palcos: participou de uma montagem diferente do musical Spring Awakening (montado no Brasil como O Despertar da Primavera), que contava com atores surdos e muita linguagem de sinais, em cartaz entre 2015 e 2016.

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Envolva-se em nosso conteúdo, seus comentários são bem-vindos!

7

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Cadeirante ganha Oscar de teatro – Deficiente Eficiente - […] Veja mais em: Turismo Adaptado […]

Deixe uma resposta

banner lateral acervo digital acessibilidade e inclusao no turismo
Booking.com
Book Hostels Online Now

Siga-me no Twitter

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This