Mal de Parkinson. Para viajar não precisa tremer de medo, basta ter cautela.

por | 18 set, 2012 | Acessibilidade | 3 Comentários

O ator Michael J. Fox que se consagrou com o filme “De volta para o futuro” e o campeão mundial de boxe Muhammad Ali, possuem Mal de Parkinson e trabalham em campanhas para o esclarecimento e tratamento do problema.

Recentemente, ao tomar um vôo a partir de Cincinnati, cheguei no aeroporto 90 minutos antes do vôo. Percebi que meu terminal estava realmente perto de um quilômetro de distância. “Eu posso fazer isso”, eu disse a mim mesmo, e comecei a andar.

Como a maioria das pessoas bem-intencionadas com Parkinson, eu superestimei o quão longe eu podia andar. Depois de sofrer um colapso emocional no meio do terminal, fui resgatado pelos funcionários da companhia aérea que generosamente mantiveram o vôo para mim. Mas logo descobri que isso seja uma bênção mista. Imagine ser recebido em um avião com pessoas raivosas que tinham horários apertados e vôos de conexão para fazer, olhando para você para mantê-lo pra cima!

Conto essa história porque mostra o quanto é importante para uma pessoa com Parkinson antecipar as dificuldades que surgem durante a viagem. Aqui eu compartilho algumas dicas para ajudar a tornar sua viagem mais agradável.

Como chegar

A regra geral é que os problemas de todos os tipos podem acontecer a qualquer momento, se sua viagem for de avião, carro, barco ou trem. Para minimizá-los, comece por pedir assistência especial no momento de fazer as suas reservas. Companhias aéreas e a maioria dos outros modos principais de transporte acomodam os clientes com “necessidades especiais”. Repita várias vezes as suas necessidades. Por exemplo, se você precisa de um carrinho elétrico ou serviço cadeira de rodas, diga ao agente de check-in, em seguida ao representante da companhia aérea, e quando você estiver embarcando e depois dar a aeromoça, apenas um lembrete amigável antes de desembarcar. Não assuma que você “pode” estar funcionando bem mais tarde – é melhor prevenir do que remediar e ter as acomodações necessárias no local.

Outra dica para o período de planejamento: ao fazer reservas para um avião ou barco, é perguntar como fazer para estacionar o seu carro. Muitas instalações oferecem estacionamento gratuito, se você identificar sua deficiência ou apresentar o cartão nacional de estacionamento pata pessoas com deficiência (DeFis). Se você estiver voando, certifique-se de chegar ao aeroporto duas horas antes do vôo para evitar uma situação como a minha no aeroporto de Cincinnati

Detalhes importantes

Para manter seus planos de viagem alinhados, leve um roteiro impresso, completo com informações de contato de emergência, em sua pessoa. Deixar uma cópia desta em casa com um amigo ou parente em caso de necessidade de chegar até você. Se você estiver viajando no exterior, certifique-se de ter o endereço e informações de contato para a Embaixada de seu país. É aconselhável ter seu passaporte junto de você o tempo todo ou trancado em um cofre do hotel.

Se você usar uma cadeira de rodas ou outro auxilio de locomoção, confirme se o quarto de hotel é acessível para cadeiras de rodas. Informe-se sobre acomodações especiais oferecidas nos hotéis, sem custos adicionais, tais como cadeiras de banho. Além disso, confirme acessibilidade para cadeiras de rodas com antecedência, para os locais que você sabe que vai querer visitar.

Arrumando a bagagem

Uma crise de nervos por ter esquecido alguma coisa vai arruinar dias de férias, fazendo os sintomas do Mal de Parkinson piorarem. Uma arrumação de sua bagagem de forma eficiente pode fazer uma grande diferença, por isso certifique-se de fazer uma lista dos elementos essenciais – passaportes, bilhetes, dinheiro e itens especiais – de antemão. Resolver os seus trajes completos, com meias, roupas íntimas e sapatos. Incluir roupas e acessórios amigáveis para portadores de parkinson, tais como ítens anti-rugas com cós de elástico, e outros recursos de fechos para abertura facilitada.

Artigos de higiene pessoal e itens de higiene pessoal são mais fáceis de lidar se você tiver um tipo de saco de compartimento. Os melhores são os sacos que podem ser pendurados na parte de trás de uma porta, proporcionando fácil acesso a cada compartimento.

Gerenciando suas Medicações

Manter os medicamentos checados pode ser um fator crucial para desfrutar de uma viagem bem sucedida. Sempre leve medicamento extra para evitar ser apanhado de calças curtas e mantenha os seus medicamentos com você em todos os momentos. Traga uma garrafa de água para ajudá-lo a tomar os seus comprimidos, bem como um lanche rápido para ajudar a prevenir náusea.

Se você se deparar com uma situação onde você está sem medicamentos, um farmacêutico local pode lhe dar uma receita médica de emergência para durar de um a três dias. Para auxiliar o farmacêutico, viaje com uma lista atualizada dos seus medicamentos, juntamente com dosagens, o seu horário de medicação e notações de alergias. Esta informação também será essencial se você tiver que ir a um consultório médico ou um pronto socorro, quando em férias. Se sentir enjôo, consulte seu farmacêutico antes de tomar medicação anti-náusea.

Divirta-se!

Agora que você planejou tudo com antecedência, aproveite suas férias bem merecidas. Verifique se o seu cronograma de visitas é flexível, e organizados com mini-descansos e uma boa noite de sono todos os dias. Leve equipamentos de assistência necessários (como um andador), e tenha sempre um bastão ou bengala. Ao dirigir ou andar, parar freqüentemente para alongar ou caminhar ao redor, bem como paradas para o banheiro.

Suas viagens não tem de acabar quando o Mal de Parkinson avança. Divirta-se!

Fonte: Parkinson’s Disease Foundation 

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Envolva-se em nosso conteúdo, seus comentários são bem-vindos!

7

3 Comentários

  1. Ana Vanicola Oliveira

    Ricardo, adoro seus artigos, e socializo quase todos no meu Facebook, pois tenho vários contatos que são interessados e adeptos das causas pelas quais lutam as pessoas com deficiência. Obrigada por nos instruir com suas reportagens e artigos.
    Abraços

    Ana Vanícola

    Responder
    • Ricardo Shimosakai

      Olá Ana,
      Muito obrigado pelos elogios, isso é muito motivador, e me dá motivação para continuar lutando, apesar de todas as dificuldades que encontramos. Vamos ampliar essa área, com a participação de todos.

      Responder
  2. Dirceu Krainski Pinto

    Ricardo obrigado por ser uma pessoa motivadora, adoro viajar tenho parkinson e gostaria de mais informações suas.
    Abraco.Dirceu

    Responder

Deixe uma resposta

banner lateral acervo digital acessibilidade e inclusao no turismo
Booking.com
Book Hostels Online Now

Siga-me no Twitter

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This
%d blogueiros gostam disto: