Paraplégica encara o desafio do bungee jumping em Whistler, no Canadá

por | 22 abr, 2012 | Esporte e Aventura adaptada | 0 Comentários

Içada no alto de uma ponte, uma mulher em uma cadeira de rodas é subitamente jogada sobre da borda por um grupo de homens. Momentos depois, ela solta um grito – mas não pareceu um som de medo. À primeira vista, parece uma brincadeira que deu errado. Mas o desafio era, de fato, a realização de um sonho ao longo da vida para a Christine Rougoor de 25 anos de idade, que sempre quis tentar bungee jumping.

No vídeo de um minuto, Rougoor é vista em queda livre de 50 metros para dentro de uma ravina em Whistler, British Columbia, com sua cadeira afixada a uma corda de segurança de borracha. O impulso da corda elástica joga ela ee a cadeira para frente e para trás, e quando a corda puxa ela novamente para cima, pode ser ver um gesto com polegares para cima, mostrando que o salto foi um sucesso.

O vídeo de parar o coração atraiu mais de meio milhão de visualizações e compartilhamentos no YouTube até agora. Rougoor, que é uma professora do ensino fundamental, se envolveu em um acidente de bicicleta em 2008 que a deixou paralisada da cintura para baixo. De acordo com a CTV do Canadá notícia, ela também quebrou todos os ossos do rosto no acidente.

Mas a busca por emoções não deixou de chegar até ela. Ela apresentou um vídeo para 9lives Aventura, uma empresa especializada em esportes radicais para deficientes físicos, dizendo-lhes por que ela queria uma chance de ir bungee jumping ou motoneve, e ganhou.

Fundador da 9lives, Karim Ladki, que quebrou o pescoço há muitos anos atras, mas que teve sua recuperação completa, disse que começou a empresa para ajudar as pessoas com deficiência viverem um estilo de vida activo e aventureiro. Recapitulando os momentos de adrenalina, Rougoor disse que o seu coração pula cada vez que ela assiste o filme. “Eu faria tudo de novo num piscar de olhos”, ela disse em um depoimento.

Diz a lenda que o Bungee Jump começou quando uma mulher da tribo Bunlap, fugindo do seu agressivo marido, Tamale, escalou uma Banyan Tree (tipo de árvore local) situada nas selvas de Vanuatu, na Ilha de Pentecost. Vendo que ele continuava a persegui-la, rapidamente a mulher amarrou cipós nos tornozelos e saltou, alcançando o solo com segurança. Tamale desesperado saltou em seguida mas, sem o auxílio do cipó como fez sua esposa, morreu na queda.

O Guinness (livro dos recordes mundiais) informa que o maior salto comercial de bungee jump é feito da Bloukrans River Bridge, uma ponte a 40 km ao leste de Plettenberg Bay, na África do Sul. O salto é dado de uma plataforma sob a ponte e a altura de lá até o chão do vale é de 216m (709 pés). O Guinness só registra saltos de plataformas fixas para garantir a precisão das medidas. John Kockleman, no entanto, entrou para o livro após um salto de 2200 pés de um balão na Califórnia, em 1989. Em 1991, Andrew Salisbury saltou 9000 pés de um helicóptero em Cancún para um programa de televisão, patrocinado pela Reebok. A corda atingiu uma tensão máxima de 3157 pés. Ele pousou a salvo de pára-quedas após o salto.

Fonte: Relax

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Envolva-se em nosso conteúdo, seus comentários são bem-vindos!

7

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Bungee jumping je nefalšovaný adrenalín - Vozickar.sk - […] Zdroj: Článok autorsky upravený a doplnený je prebraný z: https://turismoadaptado.com.br/2012/04/22/paraplegica-encara-o-desafio-do-bungee-jumping-em-w… […]

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This