Pesos e medidas da bagagem de mão. Limites aceitos pelas companhias aéreas.

por | 20 abr, 2019 | Turismo Adaptado | 0 Comentários

A importância de preparar sua bagagem de mão na hora de viajar, agora tem uma importância maior. Caso as novas regras não sejam cumpridas, você pode passar por aborrecimentos. Segundo as regras da ANAC, em vigor desde maio de 2017, a bagagem de mão pode pesar até 10 kg e o seu volume deve ser definido por cada companhia aérea.

Preste atenção para colocar aquilo de mais importante que irá levar na viagem, e que seria um grande transtorno se ele fosse extraviado na sua bagagem despachada. Se você precisa de remédios ou materiais de procedimento como cateteres (sondas uretrais) por exemplo, leve consigo quantidade extra para caso algum imprevisto ocorra, e fique difícil ter acesso à sua mala já despachada.

Elementos de valor também devem ser considerados, pois infelizmente também ocorrem situações de violação e furto em malas, então é bom se prevenir. Documentos, dinheiro, celular sempre devem estar junto de você, pois as bagagens de mão são um produto cobiçado por ladrões de aeroportos. Leve sempre um bom agasalho, pois mudanças bruscas de clima podem acontecer, ou até mesmo a temperatura dentro do avião pode estar bem fria.

“Em minha mala que despacho, praticamente levo somente roupas, e produtos que posso facilmente encontrar em outro lugar com mais facilidade, como por exemplo escova e pasta de dente. Todo o resto levo em minha bagagem de mão. Se estiver muito volumoso, procuro apertar mais ou ajeitar melhor para que tudo entre, e dou uma avaliada final no peso. Minha bagagem de mão é sempre uma pequena mochila já verificada para as medidas exigidas” aconselha Ricardo Shimosakai, Diretor da Turismo Adaptado.

A partir desta quarta-feira passada (10), as companhias aéreas vão fiscalizar com mais rigidez o tamanho da sua mala antes de entrar na área de embarque. As bagagens fora do padrão precisarão ser despachadas nos check-ins das empresas — e o despacho pode custar até R$ 120.

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) adotou um tamanho padrão para esse tipo de bagagem, o mesmo usado pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, em inglês), que é de 55 cm de altura por 35 cm de largura e 25 cm de profundidade. A Abear anunciou que o objetivo é “agilizar o fluxo dos clientes nas áreas de embarque, evitando atrasos e trazendo maior conforto para todos os passageiros”.

Desde setembro de 2017, as quatro maiores empresas aéreas do Brasil — Avianca, Azul, Gol e Latam — cobram para despachar a bagagem de seus passageiros. A regra que permite a cobrança foi aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em dezembro de 2016. Até então, as empresas eram obrigadas a oferecer gratuidade para bagagens com até 23 quilos.

O custo para despachar a bagagem varia de acordo com o tipo de franquia contratado para a viagem. A seguir, veja quanto cada companhia cobra para despachar mala, se o despacho não está incluído no preço da passagem.

Avianca
Se comprada com mais de seis horas de antecedência do voo, o despacho sai por R$ 60 por mala. Já se a compra for feita depois disso, custa R$ 120.

Azul
Se comprado pelo site da companhia, o despacho custa R$ 60. Já se a compra for feita no aeroporto, sai por R$ 120.

Gol
Se comprado pelo site da companhia, o despacho custa R$ 60. Já se a compra for feita no aeroporto, sai por R$ 120.

Latam
Até três horas antes do voo, o despacho custa R$ 59. Após esse período, sai por R$ 120.

Veja o calendário de fiscalização
A medida será adotada em 15 aeroportos, em etapas. Nas primeiras duas semanas, haverá uma campanha educativa, em que os passageiros serão informados sobre as medidas das bagagens de mão. Os terminais Juscelino Kubitschek (Brasília), Afonso Pena (Curitiba), Viracopos (Campinas) e Aluízio Alves (Natal) serão os primeiros a contar com a fiscalização. O período de orientação vai até 24 de abril e a fiscalização começa em 25 de abril.

A segunda leva de terminais será composta por Confins (Belo Horizonte), Pinto Martins (Fortaleza), Guararapes-Gilberto Freyre (Recife), Luís Eduardo Magalhães (Salvador) e Val-de-Cans-Júlio Cezar Ribeiro (Belém). O período de orientação vai de 17 de abril até 1º de maio e a fiscalização começa em 2 de maio.

Os últimos aeroportos a aplicarem a fiscalização, a partir de dia 24 de abril, serão os de Santa Genoveva (Goiânia), Salgado Filho (Porto Alegre), Congonhas (São Paulo), Guarulhos, Galeão e Santos Dumont (Rio de Janeiro). A orientação aos passageiros vai de 24 de abril até 12 de maio e a fiscalização começa em 13 de maio.

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Envolva-se em nosso conteúdo, seus comentários são bem-vindos!

7

0 comentários

Deixe uma resposta

banner lateral acervo digital acessibilidade e inclusao no turismo
Booking.com
Book Hostels Online Now

Siga-me no Twitter

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This