Rampa e tampa de esgoto. Uma combinação infeliz para a acessibilidade.

por | 12 jun, 2019 | Acessibilidade | 0 Comentários

A foto mostra um dos cruzamentos mais movimentados da cidade de São Paulo, na Avenida Paulista com a Avenida Brigadeiro Luis Antônio, no bairro Bela Vista. Num dos lados da calçada, onde há o rebaixamento da guia, existe uma tampa redonda e grande da Sabesp, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo.

O problema é que o asfalto em torno da borda dessa tampa de esgoto está corroído, e de formou praticamente um fosso em torno dela. Devido ao tamanho e proximidade da rampa, esse conjunto virou um obstáculo e praticamente inutilizou a acessibilidade existente. Somente pessoas com habilidade conseguem desviar desse perigo.

Parece que essa área, em volta da tampa, é um lugar com mais facilidade de deterioração. A tampa precisa estar muito bem encaixada para não formar um desnível ou até um degrau. Eu (Ricardo Shimosakai) também já presenciei serviços da empresa, onde tinha que abrir a tampa e colocar um cercado, e é claro, com isso interditavam a passagem pela rampa também.

Esta tampa deve estar no local há muito tempo, e mudar ela de lugar não é algo fácil. Porém, a faixa de pedestres nesse cruzamento é bastante larga, então o rebaixamento da guia poderia ter sido feito em outro local, para que não entrasse em conflito com a tampa, eventualmente. Esta rampa também não é tão antiga, pois nessa parte da avenida não havia travessia de pedestres, ela era feita aproximadamente 50 metros depois da esquina.

Então é um exemplo de falta de planejamento, pensaram somente na construção da rampa, porém não em suas variáveis. Não haveria problemas, se houvesse uma manutenção eficiente para que se formasse aquela valeta. Aquilo não aparece de repente, levou um tempo para ficar naquela situação. Se o serviço de manutenção fosse eficiente, o pequeno problema não teria virado esse obstáculo. Então vocês podem imaginar, que também demoraram muito para consertar.

Quando há obstrução da passagem, deve se criar um caminho alternativo. Já vi algumas vezes algumas obras, onde a calçada estava interditada, então colocaram rampas móveis, para descer da calçada, um caminho cercado pela rua, e depois uma nova rampa móvel para voltar à calçada. Isto não é difícil de se fazer, e também não custa muito dinheiro e muito menos tempo. É a velha história de que, primeiro é preciso saber o que fazer, e depois é preciso executar. E sinceramente, ainda acho que no geral em nosso país, ainda falta bastante ambas as coisas.

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Envolva-se em nosso conteúdo, seus comentários são bem-vindos!

7

0 comentários

Deixe uma resposta

banner lateral acervo digital acessibilidade e inclusao no turismo
Booking.com
Book Hostels Online Now

Siga-me no Twitter

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This