Em Kuala Lumpur, na Malásia, é possível pedir um café com a língua de sinais. Isso porque os funcionários de uma loja da Starbucks na cidade têm deficiência auditiva e se comunicam com sinais.

É a primeira unidade do tipo, dedicada a incluir pessoas com deficiência auditiva no mercado de trabalho. São 10 baristas com essa deficiência e três ouvintes.

A loja foi criada em parceria com a Sociedade de Intérpretes dos Surdos (SID, na sigla em inglês). A organização irá disponibilizar dois intérpretes para a seleção, treinamento e aconselhamento dos funcionários.

Para aqueles que não sabem a língua de sinais, a rede de cafés oferece uma guia para fazer os pedidos. O caixa também tem uma tela para assegurar que o pedido foi anotado corretamente.

Ao invés de chamar os consumidores pelo nome quando a bebida estiver pronta, o número do pedido será exibido em uma tela.

“Estamos orgulhosos por suportar pessoas com deficiências através de um trabalho gratificante, para criar a cultura de empoderamento e para trazer novas perspectivas para o ambiente de trabalho, o que por fim irá nos tornar uma companhia melhor”, disse Sydney Quays, diretor do Starbucks na Malásia.

Outros casos

Em fevereiro desse ano, uma conversa entre consumidor e barista de uma loja da Starbucks nos Estados Unidos chamou a atenção.

A conversa em questão foi toda feita na língua de sinais, que a funcionária tinha passado os últimos meses aprendendo para antender a consumidora fiel.

O mesmo aconteceu em um drive-thru. Um consumidor sinalizou seu pedido por meio de uma câmera para a atendente. O vídeo da conversa teve mais de 11 milhões de curtidas desde novembro.

Fonte: Exame

Pin It on Pinterest

Shares
Share This
%d blogueiros gostam disto: